, 11/08/2017

Tal pai, tal filho

Ser pai é se propor a ensinar todos os dias, compartilhar momentos, vibrar por sonhos e conquistas alheias. Para celebrar o Dia dos Pais, conversamos com o triatleta Luis Ohde, e seu pai, também atleta, Luiz Fernando Ohde. As respostas reforçam o amor e a relação entre pai e filho, confira:
Luis Ohde (filho):
Sabemos o quão importante é a presença do pai na carreira do filho. Para você, como o incentivo do seu pai influencia na conquista de seus objetivos?
1.       Com certeza ele é o maior incentivador desde o começo para que eu virasse profissional. Meu pai e minha família nunca medem esforços para me ver treinando e competindo, por isso, sei que me dedicar aos treinos e fazer da melhor maneira possível é a melhor maneira de retribuir o que ele faz por mim.
Qual o momento mais marcante com o seu pai em sua carreira?
1.       A chegada do meu primeiro Ironman em 2015, ele desistiu da prova pra chegar e comemorar comigo nos últimos metros da prova.
Vocês treinam juntos?
  1. Ainda treinamos juntos, no começo o meu desafio era acompanhar ele, o tempo foi passando e começou a ficar difícil pro lado dele (risos). Mas vou admitir que às vezes ele está inspirado no ciclismo e o velhinho dá trabalho, viu?
Qual foi a frase que seu pai te disse que mais marcou?
  1. Várias vezes assistindo juntos aos vídeos de Ironman, quando o primeiro cruzava a linha de chegada ele sempre mandava a mesma frase “imagine como deve ser bom cruzar essa linha em primeiro”. Essa frase e a cena ficou gravado em minha cabeça.
Qual a história mais engraçada sobre o seu pai que você mais gosta de lembrar?
  1. Ele tem algumas, mas este ano ele se superou (risos). No começo do ano, na competição do SESC, em Caiobá, o uniforme dele de competição rasgou nas “partes baixas”, bem onde não poderia rasgar. O problema é que ele não percebeu, terminou a prova, comemorou e tudo, nossos amigos tirando muito sarro até ele perceber (risos).
Luiz Fernando Ohde (pai):
Qual foi a sua reação quando soube que o Luis queria ser um triatleta?
  1. Quando ele me falou que queria ser triatleta profissional fiquei muito feliz, pois esse era um sonho que eu gostaria de ter realizado e se meu filho escolheu essa profissão, de certa forma, realiza esse meu sonho também!
Quão importante você considera o incentivo do pai na carreira do filho?
  1. Acho fundamental que o pai apoie de todas as formas possíveis, seja qual for a carreira que seu filho escolheu. Com certeza ele vai ser mais bem sucedido e feliz!
Em algum momento você ficou com receio do caminho que seu filho escolheu?
  1. Fiquei um pouco em dúvida na parte financeira, pelo pouco retorno que o triathlon ainda trás aos atletas.
Qual a frase que todo pai deveria dizer para o filho atleta?
  1. Eu vou estar sempre torcendo por você!
Qual dica você daria para os pais de atletas para incentivarem a carreira dos filhos?
  1. Para aqueles que podem, acho que uma boa dica é treinar e competir junto com eles. Além de dar um bom exemplo, no final, sempre tem aquele abraço gostoso que pra mim é o maior dos prêmios!
 
Qual a história mais engraçada do Luis que você mais gosta de lembrar?
  1. A gente dá muita risadas juntos, geralmente sou eu que faço as “besteiras” (risos). Eu lembro logo no começo, acho que na primeira entrevista, ele estava com o nariz sujo, e a jornalista ficava fazendo sinal pra ele mas ele não entendia, eu chorava de rir.
Relembre as histórias com o seu pai nesta data especial e aproveite cada minuto com ele, que não mede esforços para te ver feliz.