Luciano D’Agostini, nascido em 1976, é um nadador com 30 anos de carreira, representando grandes clubes do Brasil. Tudo começou em 1987, com 11 anos, quando quebrou o fêmur ao ser atropelado, tendo que usar cadeira de rodas e muletas para se locomover. Foram nove meses de fisioterapia e como auxílio ao tratamento, começou a nadar no Clube do Golfinho, celeiro de grandes campeões das piscinas do País.
Desde a sua recuperação, D’Agostini nunca mais parou de nadar, competindo em alto nível do infantil ao adulto e posteriormente na master. Por conta do seu pós-doutorado na área de economia, teve que se mudar para o Rio de Janeiro, mas nunca abandonou os treinos, visando agora os grandes eventos master, como as olimpíadas e os mundiais. “Temos que aprender a aliar família, trabalho e estudos. É essencial dedicar uma parte de sua vida para fazer algo para você mesmo”.
O nadador fez parte de algo que sempre sonhou: carregar a tocha olímpica nas Olimpíadas Rio 2016. Luciano sempre quis participar do evento, mas como um competidor, nunca conseguiu. Carregar esse símbolo significou muito mais do que ele imaginava.
Atualmente, seu foco é participar de provas que ainda não conquistou o título para aumentar sua coleção de vitórias e medalhas.

WORLD MASTERS GAMES

O World Masters Games é o maior evento multi-desportivo do mundo. Realizado a cada quatro anos, seu objetivo é incentivar a participação no esporte ao longo da vida. Sua primeira edição foi em 1985, mas apenas em 2009, em Sidney, foi reconhecido pelo comitê internacional.

O evento é aberto a atletas de todas as modalidades, sendo que o critério de idade mínima varia entre 25 e 35 anos dependendo do esporte. Os participantes competem por si próprios, ou seja, não há delegações de países. Além da exigência de idade e da participação no órgão de direção do esporte, não há requisitos de qualificação de competição.
Nesse ano aconteceu a nona edição dos jogos em Auckland, Austrália. Foram 28 esportes e 106 países. A próxima será no Japão, em 2021.
Atualmente, Luciano é o atleta brasileiro de natação que mais tem medalhas no World Master Games, contabilizando 21 no total.

ROTINA DE TREINOS

Apaixonado por competições, Luciano mantém o ritmo fazendo cinco treinos por semana, além de três vezes musculação e duas vezes funcional. Como passa grande parte de seu tempo no Rio de Janeiro, utiliza a piscina do Fluminense para a prática de natação.

A distância não é um empecilho. Nosso professor, Ilan Kessel, é o responsável por estruturar  o treinamento de Luciano. “Ele tem uma base muito forte, não precisa aprender a nadar, às vezes o que acontece são correções de detalhes, posição do corpo na água, mãos, cabeça, nado submerso, etc. Quando ele vem para Curitiba, procuramos fazer esses ajustes finos aqui na Swimex”.
Seus treinos não são feitos apenas na água. Em sua grade estão exercícios de explosão muscular, com muita pliometria, método que reúne exercícios com saltos e lançamentos, que envolvem um alongamento da musculatura seguido de uma rápida contração. Outro ponto importante é o trabalho de pernas. “A força nas pernas é essencial para agilidade e rapidez na natação, por isso trabalhamos bem a musculatura, um bom nadador tem que ter uma excelente pernada”, diz Ilan.

ALIMENTAÇÃO

Luciano tem uma alimentação regulada. Em seu cardápio diário, sal, açúcar e gordura não estão inclusos. Carne de vaca, peixe e frango fazem parte de sua alimentação, mas todas são fritas com água, não com óleo.

“Tenho muito mais disposição e meu organismo é muito mais forte. Quando vou para os treinos, chego pronto”.

MARATONA AQUÁTICA DE CURITIBA

O nadador também é um dos idealizadores da Maratona Aquática de Curitiba, “super-revezamento” de 6h, que tem como objetivo a arrecadação de alimentos para entidades carentes. Nela, pode participar qualquer pessoa que gosta de competir e, é claro, nadar.

Sua primeira edição aconteceu em 2002 para incentivar a realização de provas de natação de longa duração na cidade. No ano passado, a Maratona recebeu mais de 900 nadadores, que doaram cerca de 10 toneladas de alimentos.
O projeto é um orgulho para Luciano, pois a cada edição, a lista de espera aumenta e os alimentos arrecadados impressionam. “O evento cresceu muito, várias academias e clubes de Curitiba competem. É maravilhoso!”.
Entre os dias 23 e 25/06, o atleta participará do campeonato brasileiro de Masters. O foco agora é se preparar para disputar e conquistar mais medalhas no Japão em 2021.
Luciano concilia o seu amor pela família, por competições, seus estudos e seu trabalho em harmonia. Visionário, ele apresenta expectativas positivas em relação à Maratona Aquática de Curitiba e aos novos desafios. Para a Swimex é uma honra compartilhar essa história e saber que temos um papel importante para a conclusão de seus objetivos esportivos.

Comentários